Castlevania: Dance of Pales

sábado, 19 de setembro de 2009
Um salão vazio enche-se de palavras quebradas, contendo entre suas minuciosas e finas linhas ofensas mal direcionadas, pensamentos mal formados ou até mesmo muito bem formados, carregados de mágoas passadas, de eventos não relacionados, revelando a amargura que toma conta dos seres, todos mascarados, com seus sorrisos, suas ofertas de ajuda;

Uma falsa preocupação, uma falsa dedicação, sentimentos mentirosos que tomam como lar pessoas machucadas e vazias que, como mosquitos, tentam espalhar a praga que levam consigo.

Brisa leve que toma conta do salão, movendo as peças estirradas ao chão, as máscaras e as palavras se unem para uma última re-encenação; um visitante se aproxima e não pode ver o salão neste estado, rápidamente a poeira se faz densa, surgindo dentre ela cavalheiros e senhoritas densos e, ao mesmo tempo, transparentes;
Seres enevoados cuja personalidade deixa transparencer tanto quanto seus corpos, revelando a amargura por trás de cada sorriso, de cada palavra.

Máscaras caem naturalmente, muitos discordam, mas se faz tão aparente... quando a máscara se torna algo natural, fica difícil notar-se quando está usando-a... e quando não está.

Erro universal na humanidade e até na sobrenaturalidade, erro de ser consciente e racional, que tenta julgar o visitante, mesmo sem saber que ele vai ver um a um, decidindo a dedo aquele que continuará no tom pálido de seus cabelos e aquele que passará ao tom vermelho de sua capa.
Um sorriso em seu rosto, uma pequena reverência formal, enquanto ele caminha com leveza e calma, gradualmente tomando a forma da mesma névoa que compunha cada mascarado, tornando-se apenas um verdadeiro rosto em meio a última valsa do baile de máscaras.

Um a um, o salão se esvazia, o visitante tendo-o atravessado de maneira literal, sem chamar a atenção mas tendo em si todos os holofotes, pois as palavras quebradas deixavam refletir em seu material, um cristal comum na atualidade, a agonia dos mentirosos, presos mais que nunca, no seu hall de ilusões.

http://www.youtube.com/watch?v=AsysZQYBQU8&feature=related

1 comentários:

Poetíssima disse...

Adicionei você na minha lista...
Sempre que vejo na lista visito mais.

Desculpa a ausência!

Eu.. amei o texto, mas como estou triste, você sabe, não me sinto nada mais para comentar...

Tem selinho pra tu no meu blog!
Cheiros nossos!

Postar um comentário