Peace of Mind

sexta-feira, 7 de agosto de 2009
Nesse mês de Julho...
Aprendi lições antigas, coisas que todo mundo sabe mas parece se esquecer, sabe?
Que muito pode acontecer em um só dia, que planos fazem e se desfazem em minutos, que pode se conhecer aquela pessoa em meros momentos e perdê-la em momentos ainda mais curtos.
Que palavras nem sempre tem o significado tão doce quanto seu som, e que quase nunca são ditas com seu real significado.

Tenho medo, de escrever demais e me revelar, medo de cometer os mesmos erros no futuro, medo de conhecer a pessoa e deixar passar, medo de ter que esperar.
Sentimento de urgência que rói a mente e corrói o coração, não pela vontade nem pelo desejo, necessidade quem sabe?
Só... isso.

Mas o importante é não perder o foco em momentos assim, conselhos que vêm de todas as partes, alguns requisitados, outros não, cada um deve ser analisado pois, no final das contas, a decisão é minha e não dos outros.

Se me perguntassem como achava que seriam as coisas um mês atrás... a resposta seria completamente diferente.
Não sei se seria melhor, talvez daqui a uns meses, um ano quem sabe eu possa responder, vai depender do futuro e, por mim, o tempo pode passar bem devagar, quero é aproveitar meus 6 meses de "férias" pra escrever, pensar, esperar, me divertir, rir, chorar... enfim, viver.

Às vezes o passado assusta, medo de repitir experiências, medo também de olhar pro futuro e achar que vai errar denovo, ou pior; Vai ser o erro de outra pessoa.

Chega um dia na nossa vida que temos que decidir quem vamos ser, o que queremos de nós mesmos e, nesse dia, eu quero ter uma mente decidida, que não vai ousar mudar deidéia quando, depois, me perguntar se foi a escolha certa.

http://www.youtube.com/watch?v=-cTYhY3NUWE&feature=related

1 comentários:

Poetíssima disse...

Quando li esse texto lembrei do seu rosto cheio de barba. Não sei porquê, juro. [risos]

Mas, muitas vezes na minha vida eu vivi esse texto, não sei porquê, talvez eu tenha tido que crescer rápido demais... tantas coisas ficaram nas minhas costas desde pequena que eu tento sempre falar com as pessoas para que elas cresçam, não sofram..
talvez isso até seja egoísmo meu, querer que as pessoas não sofram... mas cada um tem que sofrer para aprender a decidir sozinho, sim, decidir sozinho, mas, pesando tudo que já lhe disseram, tudo que já atravessou você, tudo vai com você, por isso digo que você nunca está sozinho.

Adoro seus textos!
Abraços, Poetíssima!


Ah, engraçado, no mundo dos blogs, você é o segundo a saber minha real identidade... rsrs! Quase ninguém sabe meu nome, me conhecem por Poetíssima e só.

Baaai!*-*

Postar um comentário